Design não é tendência.

Design não é tendência, gestão de marcas, posicionamento de marcado e criação de campanhas. Essa coluna vai falar disso tudo e muito mais.

Design não é tendência.

Vero! E digo isto com propriedade se estivermos falando de design de marcas, estratégias e gestão (branding).

Trabalho com isto há pelo menos a 17 anos, sendo 10 destes dedicados ao branding como CCO e Co-founder da Peppers Branding & Design. Lá somos focados em gestão de marcas (branding), criação de posicionamento para empresas, consultoria, diagnósticos de DNA, essência de marca, promessa, alinhamento de comunicação, enfim. E pasmem, nada é e nem pode ser baseado em tendência.

Nunca esqueço uma frase que li, e acabo usando nas minhas palestras de design nas faculdades, eventos e dentro do escritório.

Design não pode nunca ser baseado em tendência, design não é moda. Se construirmos marcas baseados em tendências ou modismos estamos nos enganando. Tendências assim como moda passam e tudo acaba.

Quando pensamos em comunicação e falamos aqui sobre as marcas, o assunto é muito sério. Não sei se todo mundo entende o poder transformador do design e da comunicação dentro das empresas, ele cria vínculos duradouros com clientes, fideliza, encanta, ajuda a compartilhar uma visão de mundo, gera identificação e faz, com toda a certeza, a sua empresa se tornar uma marca de sucesso.

Conexões

Precisamos estar conectados nas tendências, sim precisamos, um bom designer ou gestor de marcar sempre está, nisto e em várias outras coisas, mas principalmente no que a empresa quer comunicar, em qual é realmente sua verdadeira essência de marca.

Outra coisa, vocês perceberam que no texto usei marcas e empresas em negrito né, mas é porque existe uma diferença muito grande entre estas duas coisas que eu vou explicar.

As empresas precisam fazer o cliente entender, precisam explicar, convencer as pessoas. As marcas, bom as marcas meu amigo, elas fazem o cliente sentir, elas encantam, arrepiam, são desejadas. E desejo não se argumenta. Se desperta.

Com o desejo certo, seu cliente cruza meio mundo pra encontrar você.

Pense nas grandes marcas que você conhece, nos produtos que você compra, nas escolhas que faz nos shopping, porque este ou aquele produto? O que te faz decidir? Qual é o real motivo da escolha? A resposta para estas perguntas nunca são exatas, nunca são as mesmas e minimamente são racionais. Faça o teste!

Apple por exemplo, qual é a grande diferença para a Samsung, Motorola ou qualquer outra empresa do setor? NENHUMA. Todas tem acesso a melhor tecnologia, aos melhores engenheiros, programadores, mídias, grana masssssssss…. A Apple sempre está na frente.

E o diferencial é simples. São originais, tem o melhor design, tem uma promessa de marca muito bem definida e um propósito como empresa de desafiar o status quo, de pensar diferente, produzir seu produto de dentro pra fora, pensando nas pessoas.

Consequência: eles ditam a “tendência” pra todos correrem atrás e não estão preocupados com o resto. Não precisam te convencer de nada. Você compra e nem sabe porque. Tendência. hahah

Finish

Não dá pra fazer design, construir uma identidade visual ou fazer a gestão de uma marca baseado em tendência. Marcas precisam ter verdade, acreditar em algo, ter um propósito, ter uma promessa, compartilhar uma visão de mundo, tem que ser verdadeira. E tendência não traz isto.

Se tu está pensando na sua marca agora, pergunte-se: qual é o seu porque? Por que você levanta todos os dias, o que te motiva, o que você faz de diferente para as pessoas, qual sua verdade?

Se tá difícil achar a reposta, clica aqui e fala com a gente, te ajudamos a responder.

Por Rafael Brusamolin

%d blogueiros gostam disto: