fbpx

DEMITA CLIENTE

Por Fernando Pepo

DEMITI MEU CLIENTE!

Pois é, demiti um cliente. Algo que soa estranho, em meio a pandemia demitir uma receita em potencial, não é relativamente certo.

Não faz muito tempo resolvi empreender, crescer, aprender e abrir meus horizontes com uma nova jornada profissional. No meio dessa jornada me deparei com um cliente simpático, inteligente e muito bem articulado em seus negócios, nossas primeiras reuniões foram ótimas, troca de ideias, planejamentos e novos projetos em pauta. Após muita conversa a proposta foi encaminhada, aceita e assinada, combinamos que durante um mês nos entregaríamos por isso.

O projeto estava em execução durante dois meses e não existia uma previsão para finalizar, todos os dias eram solicitados itens maiores do que o combinado, sessões de fotos de duas horas que acabavam durando a tarde toda, as reuniões semanais aconteciam cada vez com mais frequência, imensas ligações de WhatsApp, vídeos e etc. Toda semana um problema novo e a mudança do projeto vinha a tona, a desorganização da empresa começou a fazer parte da nossa rotina e quando nos deparamos estávamos resolvendo problemas que não eram nosso. O pensamento interno era a vontade de atender o cliente até o fim e fazer o melhor possível ou fazer o que foi pago e estava dentro do nosso escopo.

Nossa empresa é pequena, o momento era de aprender também, o valor cobrado era baixo e sabemos das nossas limitações, entendemos o que podemos entregar. Chegamos ao terceiro mês e nada do trabalho finalizar, recebemos 50% do nosso pagamento e os outros 50% seriam acertados no fim do trabalho. Em paralelo a isso, conversei com uma amiga profissional da área, falamos de negócios e ela me contou uma história do irmão dela que DEMITIA CLIENTES!

Momentaneamente fiquei assustado, pensando porque ele faria isso e como fazia, com um pouco mais de conversa entendi os argumentos e concordei com o que foi dito.  Apesar do “susto” na hora que escutei sobre, na sequência tudo fez sentido. Durante dias eu refleti sobre o assunto, conversei com a minha sócia e com amigos, me senti mal de não querer mais atender aquele cliente, em ter feito entregas que não foram o suficiente para ele (por mais que tenha entregue muito mais do que o combinado), durante um tempo pensei, pensei e pensei.

Com o passar dos dias comecei a me posicionar em alguns pedidos e situações, deixei de ser passivo e me coloquei no lugar onde eu nunca deveria ter saído, lógico que com isso os problemas de um novo posicionamento começaram a existir, algumas reclamações aconteceram. Após longos três meses, informei que não queria mais atender devido cliente, que nossos trabalhos seriam disponibilizados até uma determinada data e após isso não gostaríamos de renovar. Que sensação maravilhosa, falei o que sentia e retirava os meus pensamentos daquele trabalho. Até receber a segunda parcela foi mais um sofrimento, ao menos não prestava mais serviço para a empresa.

Aprendi muito com tudo isso, percebi que igual outros relacionamentos não podemos esgotar as nossas energias, não interessa o que fosse entregue ao cliente, ele nunca estaria satisfeito. Não existia conversa, a razão sempre seria dele. Clientes assim desqualificam seu potencial, sugam sua energia e tiram a sua paz, ele pode conseguir achar outro profissional bom, mas independente de quem for, vai por preço no seu trabalho e desqualificar tudo que ele faz, estudou e se esforçou para saber.

Existem muitos clientes que vão se importar com você, que vão agregar profissionalmente e serão fieis ao seu trabalho. Cuide com quem você quer atender, por mais difícil que o momento seja, a sua paz vale muito. DEMITA CLIENTE.

%d blogueiros gostam disto: